x

Oftalmo Estância - Clínica de olhos


Catarata X Pterígio

Catarata X Pterígio

Você sabe qual a diferença entre pterígio e catarata?

O pterígio chama muito a atenção, pois altera a estética do olho, deixando-o vermelho, irritado e com uma pele mais grossa no canto. Pessoas com pterígio têm um crescimento de tecido carnudo e rosado no branco do olho. O crescimento geralmente se forma no lado mais próximo ao nariz e cresce em direção ao centro do olho. Um pterígio geralmente pode ser diagnosticado por sua aparência e sintomas distintos. No entanto, nos estágios iniciais, pode ser confundido com condições similares, como a pinguécula, que é outra forma de crescimento ocular não-canceroso que afeta a conjuntiva (uma fina camada transparente de tecido que cobre a parte branca do olho). Os principais sintomas do pterígio são queimação, sensação de corpo estranho, ardência ocular e olhos vermelhos. Coceira e alterações visuais também podem ser encontradas.

x

Sintomas de pterígio:

- Vermelhidão dos olhos e inflamação;

- Uma sensação arenosa no olho;

- Um sentimento de que há um objeto estranho no olho;

- Secura dos olhos devido à redução da produção de lágrimas;

- Desfocagem da visão se a superfície da córnea estiver alterada ou ???deformada???;

- Obscurecer a visão se o crescimento invadir a pupila.

x

Já a catarata é detectada somente com equipamentos específicos. Só é possível observar a catarata sem o uso de equipamentos quando ela está muito avançada e a pupila (???menina-do-olho???) fica esbranquiçada. Para determinar se você tem uma catarata, o médico oftalmologista analisará seu histórico médico e os sintomas e realizará um exame oftalmológico. O oftalmologista pode realizar vários testes, incluindo o Teste de acuidade visual, o Exame de lâmpada de fenda e o Exame retiniano.

x

A visão do paciente vai ficando embaçada, mas a catarata não deixa os olhos vermelhos. A catarata tem uma progressão lenta, causando um leve embaçamento que demora a ser percebido pelo paciente. Catarata é uma turvação da lente natural do olho que a impede de focalizar corretamente a luz na retina. Para as pessoas que têm catarata, ver através de lentes turvas é como olhar através de uma janela embaçada. ?? isso que cria os vários sintomas associados à catarata, como visão embaçada, ofuscamento, visão noturna ruim, visão dupla, cores desbotadas ou mudanças frequentes na refração.

x

Sintomas de catarata:

- Visão nublada, turva ou fraca;

- Dificuldade crescente com visão à noite;

- Sensibilidade à luz e brilho;

- Necessidade de luz mais brilhante para leitura e outras atividades;

- Visão de ???halos??? ao redor das luzes;

- Alterações frequentes na prescrição de óculos ou lentes de contato;

- Desbotamento ou amarelamento de cores;

- Visão dupla em um único olho.

O QUE PODE CAUSAR ESSES PROBLEMAS NOS OLHOS?

As causas de ambas as doenças são bem distintas: o pterígio surge devido ao excesso de exposição ao sol sem a devida proteção, vento, poeira e ressecamento ocular crônico, e a catarata é uma doença do envelhecimento natural do olho, que começa a aparecer mais frequentemente depois dos 60 anos, embora também possa ser causada por diabetes, rubéola, tuberculose e toxoplasmose, entre outras doenças. Sempre se recomenda a proteção contra os raios solares e um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada e prática de atividade física regular, como formas de prevenir essas doenças oculares.

x

TRATAMENTO:

Uma cirurgia é o tratamento adequado para a catarata, que exige uma lente intraocular para substituir o cristalino opaco, que é retirado. Ainda não existe tratamento não cirurgico para a catarata.

Para o pterígio, o tratamento mais indicado é o uso de colírios. Existe tratamento cirurgico, porém a cirurgia só é feita quando há risco de piora da visão, irritação ocular crônica ou alterações estéticas. O procedimento do pterígio é mais doloroso e com pós-operatório mais lento que a catarata, pois há a remoção do mesmo e muitas técnicas cirúrgicas utilizadas envolvem pontos.

x

Em qualquer caso, a prevenção ainda é a melhor forma de evitar quaisquer complicações ou problemas de visão. ?? importante consultar um oftalmologista periodicamente, pois é na avaliação clínica que se consegue detectar cada doença, o que permite ao médico dar as orientações necessárias para cada caso.

x

Saiba mais sobre a Dra. Daniela Roehe

  • Natural de Porto Alegre / RS
  • Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul / UFRGS (1999)
  • Residência médica em Oftalmologia no Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre
  • Especialização em Cirurgia de Catarata e Segmento Anterior no Hospital de Olhos do Paraná
  • Especialização em Glaucoma no Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Especialização em Córnea no Hospital de Olhos de Pernambuco
  • Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia
  • Sócio Titular da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato e Córnea
  • Sócio da Sociedade Brasileira de Glaucoma
  • Clique aqui e Veja meu Currículo Lattes!
Dra. Daniela Roehe